sábado, 15 de agosto de 2015

Degustar um Siepi depois de um tour pela Toscana

     Para tudo existe uma primeira vez na vida! Por exemplo quando embarquei, mesmo que por acidente, em uma classe executiva da Lufthansa. Foi uma experiência inusitada e diferente para quem só voa no aperto da Ryanair. Hoje será novamente um dia especial, a primeira vez que abrirei (e degustarei) uma garrafa do super toscano Siepi, do Castello di Fonterutoli, uma vinícola localizada a 5Km da charmosa cidade Castellina in Chianti, na província de Siena. 
     A garrafa foi adquirida durante uma degustação de vinhos na Toscana, organizada pela ARDB Brasil, mas está guardada a sete chaves esperando o melhor momento para ser aberta. E hoje não faltam motivos. Meu pai comemoraria este sábado 58 anos, não fosse as surpresas da vida. Além disso, busquei esta semana o último documento do processo para tirar a cidadania italiana — o RG ou a Carta D´ Identita. O passaporte já havia saído, mas queria comemorar com tudo em mãos. Superstição minha. 

     Comemorar e brindar a um tio maluco que há trinta anos pesquisa a história da família, descobrindo até assassinatos entre os antepassados, passionais como o eram. A uma mãe que comprou a ideia desenfreada da filha e embarcou duas vezes para Itália em menos de três meses para dar entrada no processo, resmungando que nunca gastou tanto dinheiro para guardar a relíquia na gaveta! (Ela até sabe que será útil no futuro, mas não quer dar o braço a torcer!). Ao meu pai que me ensinou que qualquer sonho é sonho, mesmo os mais estrambólicos. A equipe de profissionais no Brasil e na Itália que agilizou o processo em consulados e comunes aguentando pacientemente minha ansiedade, perguntando se tudo realmente sairia como planejado. 
        De volta ao vinho que me espera! O castelo de Fonterutoli pertence à família Mazzei desde 1435 e possui uma vinícola dividida em cinco diferentes áreas — Fonterutoli, Siepi, Badiola, Belvedere e Caggio. Além da osteria Fonterutoli, que conta com o talento de um chef lindíssimo (foto acima), a casa ainda oferece diversas degustações. Foi nesta ocasião que pela primeiríssima vez aproveitei os míseros 100 ml da minha taça de Siepi, safra 2011. Notas de chocolate amargo, forte e um retrogosto duradouro e contínuo. Nosso sommelier então descreveu as características da bebida: 50% da tradicional Sangiovese (produzida na região de Chianti) e 50% Merlot, envelhecido dezoito meses em um barril francês de carvalho, e engarrafado em junho de 2103. Poderia ali ficar por 20 anos, mas não terei paciência para tanto! Segundo a Gambero Rosso, uma espécie de Vejinha italiana, trata-se de “um dos 50 vinhos que mudou o estilo dos vinhos italianos”. 

      Para acompanhar, um menu surpresa de três pratos preparado pelo maridão que acaba de me expulsar da cozinha! 
        Salute!
A atualização do jantar que acompanhou o bendito Siepi, com making of e tudo!


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...